LIPOENXERTIA

A lipoenxertia ou enxerto de gordura é o nome dado à cirurgia que visa tanto corrigir irregularidades de contorno, como aumentar uma determinada região do corpo. A gordura a ser enxertada é sempre obtida através de uma lipoaspiração, o que pode trazer um ganho estético adicional. Muito frequentemente está associada a outros procedimentos que visem à melhoria do contorno corporal. Esse procedimento é muito utilizado para o aumento das nádegas. É uma opção para quem procura um aumento moderado de volume sem a inclusão de próteses de silicone, ou ainda para a abordagem de regiões nas quais as próteses de silicone não podem ser utilizadas.

A recuperação é semelhante à da lipoaspiração. A área que receber o enxerto não deve ser manipulada, principalmente no primeiro mês de pós-operatório.

Orientações básicas

Riscos. A lipoenxertia é uma cirurgia e como tal possui os mesmos riscos de quaisquer outras intervenções do seu porte, riscos esses que podem ser minimizados através de um bom planejamento cirúrgico. O procedimento deve ser feito em ambiente hospitalar por um cirurgião plástico devidamente qualificado.

Idade. A lipoenxertia está indicada quando o desenvolvimento da estrutura corporal estiver completo, o que ocorre logo após a adolescência.

Cicatrizes. As cicatrizes são mínimas e posicionadas em regiões que dificultem a sua visualização.

Anestesia. A lipoenxertia pode ser realizada com qualquer tipo de anestesia (geral, regional, local assistida). A anestesia mais utilizada é a peridural, um tipo de anestesia regional.

Dor. Geralmente o desconforto é discreto e bem controlado com analgésicos e anti-inflamatórios.

Tabagismo. Pode influenciar direta e negativamente o resultado da cirurgia. Deve ser evitado ou reduzido ao mínimo.

Internação. Na grande maioria dos casos, a alta hospitalar acontece no mesmo dia da cirurgia. Providencie um acompanhante por ocasião da alta.

Duração da cirurgia. Por volta de uma hora, considerando-se como sendo ato cirúrgico o período da efetiva realização do procedimento. Não deve ser aqui considerado o período de preparo pré e pós-operatório, nem o período em que o paciente permanecerá na sala de recuperação.

Modelador. Você já sairá da sala de cirurgia utilizando um modelador/cinta previamente designado.

Drenagem linfática/massagem. Não devem ser realizadas em locais nos quais a lipoenxertia foi realizada.

Gravidez e oscilações de peso. O enxerto é realizado em locais nos quais já existe tecido gorduroso, ou nas imediações da musculatura e, portanto, sofrerão alterações com as oscilações de peso. Deve-se procurar manter a forma física e o controle do peso após qualquer cirurgia estética. Por outro lado, o corpo humano certamente sofrerá modificações da forma com o passar do tempo, gestação e mudança de hábitos de vida, o que poderá também alterar o contorno corporal.

Sensibilidade. Raramente modificada. O efeito mais comum é uma alteração transitória da sensibilidade.

Consistência. Com o aumento de volume, haverá o preenchimento ou o aumento natural da consistência da região abordada.

Associações cirúrgicas. As associações cirúrgicas são muito frequentes.

Resultado. Nos primeiros dias é usual a ocorrência de edema (inchaço), assim como alterações de sensibilidade e equimoses (manchas roxas). O índice de reabsorção da gordura enxertada é muito variável, ocorrendo em até três meses após a sua realização. Não se deve considerar como definitivo qualquer resultado antes de quatro a seis meses de evolução. Transcorrido esse período, a gordura enxertada passará a se comportar como a gordura da região receptora, e será definitiva. Apesar de suas mínimas dimensões, devemos considerar que todas as cicatrizes são permanentes e que terão uma evolução variável, conforme características individuais de cada paciente. A obtenção e a manutenção do resultado estão estreitamente relacionadas à observância dos cuidados pós-operatórios.

PRÉ-OPERATÓRIO

O uso rotineiro de qualquer tipo de medicação, doenças prévias e tabagismo deve ser informado. Medicamentos que possam interferir com a coagulação sanguínea devem ser suspensos dez dias antes da data programada para a realização da cirurgia. A depilação, se necessária, será feita pelo menos uma semana antes da data prevista para a realização da cirurgia. Informar a possível coincidência entre a data da cirurgia e menstruação, o que poderá determinar o adiamento da intervenção.

Comunique qualquer sinal de resfriado, conjuntivite, herpes ou quaisquer outras infecções que surgirem na semana anterior à cirurgia.

Antevéspera da cirurgia

Banhar-se com sabão antisséptico, com ênfase especial para as regiões que serão abordadas.

Véspera da cirurgia

Banhar-se com sabão antisséptico.

Jejum de sólidos e líquidos por oito horas antes do horário previsto para a realização da cirurgia.

Evitar refeições de digestão lenta e bebidas alcoólicas.

Dia da cirurgia

Banhar-se com sabão antisséptico.

Apresentar-se no hospital na hora programada.

Levar para o hospital os exames pré-operatórios e, conforme cada intervenção, o modelador indicado.

Usar roupas leves, de preferência saia ou vestido.

Não levar para o hospital jóias, relógios ou outros tipos de adereços.

Não use desodorante, hidratante, talco ou produtos similares.

Medicação de uso específico e contínuo, não padronizada no hospital, deverá ser levada pela paciente.

PÓS-OPERATÓRIO

Não se preocupe com as formas intermediárias das diversas etapas do período pós-operatório. Na fase de recuperação é muito importante o controle da dieta, uma vez que a sua atividade física estará restrita. Oscilações de peso poderão interferir negativamente no resultado da cirurgia. Pessoas diferentes poderão evoluir de maneira distinta, alcançando o resultado final com maior ou menor rapidez. Esclareça suas dúvidas durante seus retornos.

Movimentação. Movimente-se no período pós-operatório, evitando excessos. Não se levante abruptamente. O desconforto, em geral, é breve e muito bem tolerado, o que poderá levar o paciente a despender esforços prematuramente. Essa atitude poderá impactar negativamente no resultado da cirurgia a longo prazo.

Alimentação. Procure se alimentar em intervalos regulares, utilizando uma dieta leve nos dois primeiros dias.

Curativo. Retire o curativo no dia programado, geralmente entre o segundo e terceiro dias de pós-operatório, e banhe-se normalmente. Cubra as incisões com fita microporosa que não deverá ser retirada até o dia do retorno programado. A fita deverá ser reposta caso seja acidentalmente removida.

Retorno. O primeiro retorno será agendado de três a cinco dias após a cirurgia.

Retirada de pontos. Os pontos deverão ser retirados de quatro a sete dias após a cirurgia.

Cintas, espumas, talas, meias. A cinta deverá ser utilizada por dois a três meses, em média. A espuma abdominal, se indicada, será utilizada após o primeiro banho. As talas laterais do abdome, se indicadas, serão utilizadas em substituição à espuma após três a quatro semanas de pós-operatório. A meia elástica, se indicada, terá seu uso iniciado na sala de cirurgia e será mantida por um período de dez dias.

Sol. A exposição ao sol deverá ser evitada por dois meses após a cirurgia. Transcorrido esse período, um filtro solar com fator de proteção30 é recomendado.

Atividade física. Após cerca de um mês de cirurgia, devendo-se manter a área que recebeu o enxerto em repouso. Exercícios físicos intensos deverão aguardar dois meses.

Posição de dormir. Deve-se evitar a compressão do local enxertado.

Condução de veículo. Entre quatro e dez dias, evitando-se apoiar o local enxertado, mesmo após esse período.

Retorno ao trabalho. Entre quatro e sete dias. Contudo, variações individuais podem ocorrer. O mesmo não se aplica quando houver cirurgias associadas, cujo prazo de recuperação será maior.

Vida sexual. Moderada, após quinze dias da cirurgia.